Ministério da Igreja

20 de junho de 2012
 

Quando a diferença entre ensino e pregação?

Mais artigos de »
Escrito por: R. C. Sproul Jr.
marca_dagua_banners

Como prosa e poesia, esses dois termos são mais bem entendidos como extremos opostos de um espectro, e não como opostos antagônicos. Quando escrevemos prosa utilizamos diversos expedientes poéticos, jogos de palavras, metáforas, etc., e quando escrevemos poesia estamos comunicando informação. Da mesma forma, é muito difícil, se não impossível, ensinar sem pregar em certo grau, ou pregar sem algum nível de ensino.

Uma maneira de ilustrar a distinção, contudo, é observar a diferença entre o indicativo e o imperativo. O primeiro nos diz o que é, e o último nos diz o que devemos fazer. Ensino, obviamente, tende ao indicativo enquanto pregação tende ao imperativo. Mas o que acontece se tornarmos a distinção absoluta? Um ensino totalmente desprovido de qualquer imperativo não nos faria bocejar e responder “E daí?”? Da mesma forma, se despojarmos a pregação de todo indicativo, e ficarmos apenas com o imperativos, não teríamos sermões que meramente gritam “Faça alguma coisa!”? Isso não terminaria em barulho e fúria, não significando nada?

Isso significa que, no final, tudo isso são questões de grau. Sou abençoado em ensinar no Reformation Bible College. Porque o meu desejo é que os estudantes cresçam em graça e sabedoria, o meu plano não é meramente descarregar informação do meu cérebro para o deles. Portanto, minhas aulas tendem a seguir um padrão real, mas não planejado. Então, no final da terceira aula, tenho a tendência de começar a pregar. Começo a exortar os alunos a viverem à luz do que aprenderam, a mudar suas perspectivas, e suas vidas. Começo a implorar que cuidem do seu coração.

Sou abençoado também por pregar, embora não tão frequentemente como gostaria. Aqui certamente tenho uma obrigação de explicar o texto, tanto quanto eu for capaz. Procuro colocar o texto em seu contexto histórico. Tento esclarecer qualquer ambiguidade gramatical, ou problemas de tradução. Mas, persuadido que a Bíblia não é um livro estranho e misterioso e de que ela é inteiramente compreensível, crendo que os nossos problemas são mais morais que intelectuais, que somos mais tolos do que estúpidos, exorto a congregação a crer, confiar, regozijar, dar graças, amar e perdoar. Todo Domingo quando sou abençoado por pregar caminho até o púlpito esperando não somente ser fiel ao texto, mas esperando encorajar crescimento em piedade. Quero que o rebanho vá embora persuadido de que em Cristo somos amados do Pai, e que Jesus muda todas as coisas.

Nós Reformados tendemos a ser professores mais vigorosos do que pregadores. Os não Reformados tendem a ser pregadores mais vigorosos do que professores. Concordamos com a Bíblia, mas permanecemos imóveis diante dela. Somos rápidos para fazer mudanças, mas nem sempre pela Bíblia. A Bíblia não é simplesmente cheia de verdade. Ela é cheia de verdade que deve nos transformar. Não é suficiente que ensinemos a Bíblia. Precisamos da Bíblia pregada.

 

Fonte: Highlands Ministries

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto – junho/2012



Sobre o Autor

R. C. Sproul Jr.
R. C. Sproul Jr.
Dr. R.C. Sproul Jr. gradou-se no Reformed Theological Seminary e no Grove City College. Recebeu seu Doutorado em Ministério em 2001. É o pastor fundador da Saint Peter Presbyterian Church, e é o fundador, diretor e professor do Highlands Ministries. Sproul Jr. escreveu e editou dezenas de livros, incluindo Biblical Economics, Almighty Over All,Tearing Down Strongholds, Eternity in our Hearts, Bound for Glory, When You Rise Up, Believing God e The Call to Wonder (2012). The important thing is that he is the the father of Darby, Campbell, Shannon, Delaney, Erin Claire, Maili, Reilly and Donovan.



 
 

 
marca_dagua_banners_a

Mudanças na Confissão?

    Visto que ninguém alega que a Confissão de Westminster é inerrante, ela está teoricamente sujeita a melhoria. Mas assumindo que o objetivo da reformulação inclua a preservação de todo o pensamento inaltera...
por Gordon H. Clark
 

 
 
marca_dagua_banners

O Estado laico brasileiro e suas contradições

Debates envolvendo a suposta laicidade do Estado brasileiro são frequentes e escassas são as certezas relacionadas a ela. Opiniões sobre o assunto não faltam, mas sim uma base argumentativa que leve em conta tanto a defini...
por Paulo Caproni
 

 
 
marca_dagua_banners_la

Os primeiros cristãos eram socialistas?

São três as passagens mais citadas por gente de esquerda sobre este ponto. Porém, cada uma delas tem sua explicação: 1 – Jesus expulsou a chicotadas os mercadores do Templo. Sim, mas é preciso ler corretamente os evange...
por Alberto Mansueti
 

 

 
logo-r1

Cristo cumpriu os dez mandamentos

Adão quebrou os dez mandamentos no Éden. Mas Cristo guardou os dez mandamentos no “deserto”, sob circunstâncias muito mais intensas do que aquelas às quais Adão foi submetido. Guardou o primeiro mandamento. Ele trouxe ...
por Mark Jones
 

 
 
marca_dagua_banners_a

Adão quebrou os dez mandamentos no Éden

  Quais mandamentos Adão quebrou no Jardim quando ele e sua esposa comeram da árvore que Deus ordenou não comessem (Gn 2.16-17; 3.6)? Creio que ele quebrou cada um dos dez mandamentos, e não apenas um ou dois mandament...
por Mark Jones
 

 
 
marca_dagua_banners_la

Dia do Senhor

Sermão do Rev. Augustus Nicodemus sobre o Dia do Senhor. [Download]
por Augustus Nicodemus Lopes