Vida Cristã

2 de janeiro de 2012

Provendo a uma Família Grande

Mais artigos de »
Escrito por: William Einwechter
Tags:
provendo-familia-grande

As Escrituras exaltam repetidamente a bênção em ter filhos e a importância deles para a família e o Reino de Deus. Salmos 127 e 128 declaram que Deus se deleita em abençoar o homem justo dando-lhe uma mulher frutífera e filhos. Sob a ótica deste ensino bíblico, e em conformidade ao próprio amor deles às crianças, muitos cristãos têm sido contemplados com uma família grande.

Um obstáculo na busca dessa bênção são as finanças. Muitos assumem que são incapazes de cobrir os custos, e abandonam a visão. Outros nem mesmo consideraram seriamente ter muitos filhos.

Devemos lembrar que o Deus que declara que filhos são sua recompensa, e convoca marido e mulher para “[serem] férteis”, é o mesmo Deus que declara que irá suprir todas as necessidade de Seus filhos que creem em Sua Palavra e guardam seus mandamentos (Fp. 4.19). Escassez sempre foi um problema em um mundo de recursos limitados, e as circunstâncias não eram essencialmente diferentes nos dias em que o salmista exaltou a bênção de ter muitos filhos. A mesma dificuldade que foi enfrentada por homens na era do Antigo Testamento em prover as necessidades materiais adequadas para uma grande família é enfrentada hoje.

Recursos Financeiros ou as Promessas de Deus?

A questão não é os nossos recursos financeiros, mas a promessa de Deus em prover para Seu povo. Uma das mais importantes dessas promessas encontra-se em Mateus 6.33: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” O contexto de Mateus 6.33 repreende a audiência pela busca de segurança financeira em riquezas tangíveis. Jesus declara que esta é uma esperança falsa; todas as riquezas podem ser perdidas, até mesmo num instante. A verdadeira segurança financeira é encontrada ao fazer da obra do Reino de Deus a prioridade em nossa vida. Se assim fizermos, Deus dá a Sua garantia absoluta de que fará com que todas as nossas necessidades materiais sejam supridas.

O estudo cuidadoso da Escritura revela que ter filhos, muitos filhos, e criá-los na doutrina e admoestação do Senhor é um dos mais significantes trabalhos que um casal pode fazer para o Reino de Deus. Se o marido e a mulher buscam o Reino de Deus através da busca de Sua bênção para terem muitos filhos, então eles têm de Deus a promessa imutável de que Ele proverá para eles e seus filhos!

Pelas bênçãos imensas de Deus, minha esposa, Linda, e eu nos beneficiamos com dez filhos. Somos gratos porque ainda cedo fomos convencidos pela Palavra de Deus que educar muitos filhos piedosos era uma obra essencial ao Reino de Deus, e buscamos Sua bênção para este fim. Apesar de nossos recursos serem poucos, nós oramos e confiamos na promessa de Deus em Mateus 6.33, e através dos anos, à medida que nossa família cresceu, os desafios financeiros também cresceram. Ele nunca falhou conosco.

A Palavra de Deus é verdade. Ao confiar nEle, aqueles que olham para Ele em vez de olhar para seus próprios recursos experimentam o caminhar de fé e o poder de Deus em prover. Quando confiamos e obedecemos a Deus, ainda que nossa fé cambaleie, Ele nunca falha!

Pais Prudentes

Em combinação com a fé nas promessas de Deus, pais que têm uma família grande devem também, de acordo com a Escritura, agir retamente e prudentemente. Através do crescimento da nossa família, o Senhor tem nos ensinado muitos princípios bons e sábios para nos ajudar a permanecer fiéis, e tais princípios não são menos úteis em famílias menores:

1. Aprendemos a estabelecer as prioridades familiares. Recursos financeiros são direcionados primeiro para o que é essencial, extras e não-essenciais vêm em segundo. Deus sempre provê para as nossas necessidades genuínas.

2. Nós aprendemos a melhor entender nossos papéis. O papel do marido é prover para sua família. Ele deve ter o compromisso de trabalhar duro e usar o melhor de sua habilidade naquilo que realiza. O papel da mulher é ser uma gerenciadora dos recursos que seu marido provê. Ela precisa aprender a arte de esticar cada real o quanto possível. Um homem diligente e uma esposa frugal e engenhosa são um time eficaz em prover para uma família.

3. Aprendemos a viver despretensiosamente e contentes. Um estilo de vida modesto, livre do fardo do desejo de se viver além das posses, é essencial. Se estamos descontentes, estamos sob o controle do pecado de “ganância, que é idolatria” (Cl 3.5). Ter uma família grande impõe alguns limites quanto ao que é possível, e estes limites precisam ser alegremente aceitos como parte do nosso chamado para sermos frutíferos e criarmos filhos para o Senhor.

4. Aprendemos a agir prudentemente para estendermos nossos recursos. Nisso há algumas coisas que descobrimos a importância. Primeiro, quando possível, faça você mesmo o trabalho. Pagar pelo trabalho que você mesmo poderia fazer é drenar as finanças. Cozinhe partindo do zero, eduque seus filhos em casa, e faça você próprio os consertos. Segundo, sempre busque o menor preço. Isso significa comprar com desconto em lojas de artigos de segunda mão. É impressionante o quanto se pode economizar. Terceiro, esteja disposto a aceitar roupas dadas por outros. Quando se tem um família grande, pessoas generosas gostam de repassar aos seus filhos as roupas que ficaram pequenas nos filhos deles. Gratamente receba esses presentes, e você pode se ver dificilmente comprando uma roupa. Quarto, aprenda a arte do custo-benefício da saúde e da cura. Custos médicos podem ser uma despesa muito grande. Muitos desses custos podem ser evitados se aprendermos prevenção e cura por meio de uma dieta saudável e remédios que não precisam de receita médica. Quinto, não se endivide. Isso é extremamente importante. Dívida no cartão de crédito e juros de empréstimos para itens que se depreciam são como um gafanhoto comendo toda a nossa posse. Sexto, se não pode pagar, fique sem. Isso não apenas ajuda a evitar as dívidas e um orçamento minguado; isso ensina a você e aos seus filhos o domínio-próprio e o contentamento.

5. Nós aprendemos a pedir a Deus que provesse. Deus se agrada em responder orações como estas. Muitas vezes, minha esposa e eu sentíamo-nos pressionados e buscávamos o Senhor para suprir nossas necessidades. Todas as vezes Ele proveu a nós; algumas vezes ao mostrar-nos um caminho que não havíamos considerado, algumas vezes provendo um trabalho ou renda extra, e outras vezes através das dádivas de outros.

O Rev. Moses Brown teve doze filhos. Um dia, um homem que pensava em como ele provia a eles disse-lhe: “Senhor, tens tantos filhos quanto Jacó.” Rev. Brown respondeu: “Sim, e tenho o Deus de Jacó para prover a eles.” Joseph Hall disse, certa feita: “Lembro-me de um grande homem vindo à minha casa em Waltham, e vendo todos os meus filhos em pé em ordem de idade e altura, disse: ‘Estes são aqueles que fazem de um homem rico pobre.’ Mas imediatamente ele recebeu esta resposta: ‘De modo algum, meu senhor. Estes são aqueles que fazem um de homem pobre rico; pois eu não me desfaria de sequer um destes por toda a sua riqueza.’” [1]

NOTAS:

1. Charles Haddon Spurgeon, Psalms, ed. Davis Otis Fuller (Grand Rapids: Kregel Publications, 1976), 593.

 

Tradução: Jazanias Oliveira – dezembro/2011



Sobre o Autor

William Einwechter
William O. Einwechter serve como presbítero docente na Immanuel Free Reformed Church em Ephrata, Pennsylvania. Ele também é vice-presidente da National Reform Association e editor do The Christian Statesman. Ele pode ser contatado no weinwechter@dejazzd.com.




 
 

 
marca_dagua_banners_la

A Oração do Senhor

Excelente exposição sobre a famosa “Oração do Senhor”.      
por Arthur W. Pink
 

 
 
marca_dagua_banners2

As Responsabilidades do Presbítero

Em textos como Atos 20.28, 1 Pedro 5.1-3 e Hebreus 13.17, fica claro que os presbíteros são (a) pastores do rebanho de Deus. Eles devem cuidar, guiar e alimentar o povo de Deus com a verdade de sua Palavra, assim como bons pa...
por G. I. Williamson
 

 
 
marca_dagua_banners

Dois ou Três Ofícios?

Como você indubitavelmente sabe, há muito existe uma diferença de opinião entre os Reformados quanto ao número de ofícios permanentes na Igreja. Alguns têm sustentado o que tem sido chamado a visão dos “três ofícios...
por G. I. Williamson
 

 

 
Trinity_620

Como a Trindade trabalha em conjunto na salvação

Uma das percepções mais importantes da teologia Reformada é a unidade das obras da Trindade. Calvinistas creem que Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo estão unidos na obra de redimir a humanidade perdida. Não...
por Richard Phillips
 

 
 
marca_dagua_banners

Sexo, Namoro e Relacionamentos

Ontem à noite, minha esposa e eu nos sentamos e fizemos uma contagem aproximada do número de casais que conhecemos e passaram pelo namoro e noivado. É um bom número de amigos, familiares e membros da nossa igreja. Então pe...
por Tim Challies
 

 
 
marca_dagua_banners2

Quão Longe é Muito Longe?

Num momento ou outro, todo mundo já fez ou precisou responder as seguintes perguntas: Quando se trata do componente físico de um relacionamento de namoro, quão longe é muito longe? Podemos dar as mãos? Podemos beijar? Pode...
por Tim Challies
 

 




0 Comments


Be the first to comment!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>